Bolsa Família e autonomia feminina: O que nos dizem os estudos qualitativos?


Fonte

Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo (IPC-IG/PNUD)

Título

Bolsa Família e autonomia feminina: O que nos dizem os estudos qualitativos?

Autor

BARTHOLO, Letícia

Descrição

"O Programa Bolsa Família (PBF) atende, atualmente, a 13,8 milhões de famílias brasileiras, correspondentes aos 25 por cento mais pobres da população, aliando transferências monetárias a contrapartidas realizadas pelos beneficiários. Os recursos financeiros são transferidos diretamente aos beneficiários que efetuam o saque pelo cartão bancário. São atendidas famílias em situação de extrema pobreza (renda familiar per capita mensal de até R$ 85,00), independentemente de sua composição, e aquelas em situação de pobreza (renda familiar per capita entre R$ 85,01 e R$ 170,00), desde que tenham crianças e adolescentes de 0 a 17 anos. O PBF possui alguns tipos de benefícios, mas, resumidamente, transfere, às famílias em extrema pobreza, o recurso necessário para que cada pessoa da família supere a linha de extrema pobreza (R$ 85,00). Já as famílias pobres recebem os chamados benefícios variáveis – no valor de R$ 39,00 por criança ou adolescente entre 0 e 15 anos, gestantes ou nutrizes, até o limite de cinco benefícios por família – e o benefício variável vinculado ao adolescente, de R$ 46,00, por jovem entre 16 e 17 anos que frequente a escola, até o limite de três por família. O benefício mensal médio está em torno de R$ 182,00 (julho/2016)". (...)

Editor

IPC-IG, Policy Research Brief, n. 57

Data

2016

Tipo

artigo de revista

Idioma

pt_BR

Arquivos

b9d927f07337053d0416adf45941be97.png

Referência

BARTHOLO, Letícia, “Bolsa Família e autonomia feminina: O que nos dizem os estudos qualitativos?,” Curadoria Enap, acesso em 30 de julho de 2021, https://exposicao.enap.gov.br/items/show/50.

Formatos de Saída