Ontologia e gênero: realismo crítico e o método das explicações contrastivas

hamlin-ontologia.png

Fonte

Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 23, n. 67, p. 71-81

Título

Ontologia e gênero: realismo crítico e o método das explicações contrastivas

Autor

HAMLIN, Cynthia Lins

Descrição

Nos últimos quinze ou vinte anos, tem-se estabelecido uma espécie de afinidade eletiva entre a epistemologia feminista e diversos tipos de desconstrutivismo pós-moderno, na medida em que ambos questionam a possibilidade de um conhecimento neutro, universal e relativo a sujeitos cujas identidades são concebidas como totalizantes, homogêneas e fechadas. No entanto, ao alertarem para os perigos da supergeneralização e do essencialismo, muitos dos conceitos e das categorias centrais à teoria feminista têm sido colocados sob suspeição, gerando um ceticismo crescente em relação à possibilidade de emancipação via conhecimento. Meu propósito neste artigo é demonstrar que um deslocamento de questões epistemológicas para questões ontológicas, por meio de uma tradição filosófica conhecida como realismo crítico e em especial, pelo método das explicações contrastivas, pode conhecimento crítico e emancipatório, sem incorrer em práticas de universalização a priori, supergeneralização e essencialização .

Editor

ANPOCS

Data

2008

Tipo

Artigo de revista

Idioma

pt_BR

Referência

HAMLIN, Cynthia Lins, “Ontologia e gênero: realismo crítico e o método das explicações contrastivas,” Curadoria Enap, acesso em 18 de outubro de 2019, https://exposicao.enap.gov.br/items/show/127.

Formatos de Saída